Temporada de 2014: Pro Mazda

Pois bem pessoas, continuando os previews das categorias todas que fazem parte do Road To Indy, temos a Pro Mazda.

A categoria encaminha para seu segundo ano sendo operada pela Andersen Productions.  A antiga Star Mazda possui motores Mazda (ah vá) de aproximadamente 260 cavalos colocados em chassis cedidos pela própria categoria.

Apesar de, nos quesitos carros e equipes, a categoria estar praticamente igual, as pistas e os pilotos que estão nela mudaram bastante.  Nesse ano ela dividira mais pistas com a USF2000 (ela correrá em Houston e Milwaukee, enquanto a USF2000 correrá em Toronto), e correrá pela primeira vez nos circuitos de Sonoma, onde acontece a final do campeonato, e no misto de Indianápolis, onde a categoria entrará pela primeira vez no lendário circuito.

Quanto a pilotos, a Pro Mazda terá um dos grids mais heterogêneos já vistos pelo automobilismo americano.  Dos vinte pilotos que estarão, apenas metade deles são americanos, haverão três mulheres na categoria, um jamaicano, um cadeirante, uma filipina e, principalmente, dois brasileiros.

Pois bem, vamos ver as equipes e pilotos mais detalhadamente, na ordem de sempre:   do campeonato passado.


Da esquerda pra direita, sempre:  Garret Grist e Shelby Blackstock

Andretti Autosport

Vem como a equipe a se batida em 2014.  O rizomorfo mais distante da Andretti Autosport da Indycar, a equipe na Pro Mazda venceu 14 das 16 corridas do ano passado, no melhor dos seus três anos e exercendo um domínio nunca visto na categoria. Para esse ano está, em teoria, entre os favoritos, mas muita gente duvida disso, devido aos pilotos que guiarão os carros e pela concorrência.  Nesse ano, a equipe vem, pelo segundo ano seguido, com Shelby Blackstock e contratou o novato Garett Grist.

O já não-tão-jovem-assim Shelby, de 24 anos, vai para o seu quarto ano nos monopostos americanos.  conseguiu terminar a temporada passada na terceira posição, sua melhor colocação na história dos monopostos, e conseguiu até uma vitória em Mosport.  Cody Simpson Garett Grist,o jovem canadense de 19 anos, foi terceiro no campeonato da USF2000 (um ótimo resultado, foi o melhor não contando os resultados da Cape Motorsports) e ficou em terceiro no Winterfest desse ano.  Se alguém for dar trabalho esse ano, será o Garett, mas lembra que eu escrevi acima que muita gente duvidava que a Andretti fosse uma das favoritas?  Então, eu faço parte dessa gente.

Jose Gutierrez, Julia Ballario, Kyle Kaiser e Spencer Pigot.

Juncos Racing

Bicho-papão de outros tempos, a Juncos já passa três anos sem colocar um piloto na ponta do campeonato, e não ganha o campeonato de equipes a cinco. Entretanto, o Winterfest desse ano deu um novo ânimo pra equipe, pois Spencer Pigot venceu o campeonato com um pé nas costas.  Pra esse ano, seus pilotos dispõem de um bom carro e do favoritismo ao título, e na equipe vem, por seu segundo ano de Pigot e de Kyle Kaiser e os estreantes José Gutierrez e a argentina Julia Ballario.

Pigot, de 21 anos, venceu o campeonato da USF2000 em 2012, e terminou a Pro Mazda no ano passado em quarto lugar, sendo o melhor estreante; começou essa temporada conquistando o Winterfest com duas vitórias e conseguindo a pole em todas as corridas, além de bater o recorde de volta de qualify mais rápida em ambas as pistas. Kaiser, 19 anos, estreou direto na Pro Mazda do ano passado, se saindo bem, conseguindo um sétimo lugar no campeonato e 3 top 5, e no Winterfest ficou num ótimo sexto lugar.  Jose Gutierrez, 17 anos, já fez algumas corridas pela Pro Mazda, e muitos, mas muitos treinos por ai na categoria, mas, pelo que mostrou, mais parece ser um piloto de meio de grid ainda. E Julia Ballario, 23 anos, meio que, muito provavelmente, vai repetir o Winterfest:  vai ficar na frente dos carros da World Speed Motorsports e da M1 Racing (veja no fim desse artigo), tá lá pra pagar a conta da equipe. 

Tá na ordem já, valeu jdcmotorsports.com

JDC Motorsports

A equipe que mais foi campeã da Pro Mazda não vive mais seus dias áureos.  Viveu anos não muito bons em 2012 e 2013, mas conseguiu aumentar e melhorar sua estrutura novamente a ponto de colocar quatro carros para Kyle Connery, Michael Johnson, Ryan Booth e para Vicky Piria.  Mas não foi isso que se viu no Winterfest.  A equipe veio apenas com Michael Johnson para NOLA, e conseguiu um acerto para Kyle Connery correr pela esquadra em Barber, mas a equipe amargou um horrível quinto lugar, de sete equipes cadastradas.

Connery vai fazer sua primeira tentativa na Pro Mazda, após três anos de corridas na F2000, onde terminou campeonatos em segundo e terceiro lugar; além de uma rodada dupla em Mid-Ohio no ano passado pela Pro Mazda e umas corridas na Grand-AM; o piloto de 23 anos, apesar de não cotado para a ponta do campeonato, ainda pode mostrar alguns bons resultados devido a sua experiência em corridas.  Ryan Booth, de 21 anos, chegou a fazer corridas pela categoria em 2009, e dali partiu para fazer corridas em protótipos (ALMS e TUSCC), e com a reformulação das corridas de endurance nos Estados Unidos, acabou ficando sem vaga e retornou pra Pro Mazda.  Vicky Piria, após sete anos de corridas em monopostos sem pódiums, vitórias ou poles, vai tentar a sorte na Pro Mazda; a moça de 21 anos correu em todo tipo possível de monopostos na Itália, no MRF challenge da Índia, na F3 européia, GP3 e agora parte para se frustrar no automobilismo americano.  Michael Johnson, também de 21 anos, fez duas temporadas na USF2000 depois de um campeonato muito bom na Skip Barber, onde conseguiu o terceiro lugar no campeonato de verão, e entrou nos holofortes da mídia.  O piloto possui paralisia dos quadris para baixo e não mexe as pernas (como a maioria dos pilotos que tem paralisia dos quadris pra baixo); para correr, seu carro precisa de uma adaptação, para que o piloto possa acionar os pedais através de chaves em sua mão.

Brandon Newey, Pipo Derani e Dalton Kellet na Team "tenho um logo rum" Pelfrey

Team Pelfrey

O time campeão do ano retrasado teve um ano até razoável no ano passado, e mesmo tendo em vista que a equipe teve certo problema com a permanência de pilotos na equipe, quando apenas Spencer Pigot fez todas as corridas da temporada passada, ela foi uma das três equipes a conseguir uma vitória.  Para esse ano pretende melhorar o quarto lugar do ano passado, e a equipe conta com o canadense Dalton Kellet, o americano Brandon Newey e o Brasileiro Pipo Derani.

Kellet, 20 anos, entrou de cabeça nos monopostos em 2011, quando fez a F1600 e a USF2000 no ano retrasado; entretanto, no ano passado, chegou ao cúmulo de fazer corridas nas três categorias do Road to Indy:  USF2000 (a que disputou mais, 14 corridas e melhor posição um sexto lugar), fez uma corrida pela Pro Mazda (décimo lugar em Mosport) e uma corrida na Indy Lights (décimo lugar em Baltimore), e fez um Winterfest regular, conseguindo a oitava posição no campeonato. Derani veio fazer sua estreia na Pro Mazda após ficar em oitavo lugar na F3 européia e de fazer 47 corridas na temporada passada; o piloto de 20 anos já possui grande experiência em carros da fórmula 3, onde fez mais de cem corridas, e conseguiu dois pódios no Winterfest, terminando o rápido torneio na quinta posição.  E Newey fez um acordo para correr algumas corridas pela Pelfrey, após fazer ma ano razoável na USF2000 do ano passado (terminou em décimo terceiro de 32 carros) e ser vice-campeão da F16000 de 2012.

Neil Alberico e Scott Hargrove

Cape Motorsports With Wayne Taylor Racing

De grande glória em categorias menores, como a USF2000, a equipe dos irmãos Cape vai voltar a Pro Mazda depois de três anos de ausência.  Apesar do grande histórico de sucesso da equipe, muitos olhavam para ela com desconfiança e ceticismo, mas no Winterfst fez um bom papel, conquistando uma vitória e  terminando em segundo lugar com Scott Hargrove.  É possível que consiga fazer frente a Andretti esse ano, se continuar melhorando.  Nesse ano os pilotos que estavam com ela na USF2000 do ano passado subiram com ela pra Pro Mazda:  Hargrove e Neil Alberico.

Hargrove foi vice campeão duas vezes pelo Winterfest (na USF2000 do ano passado e na Pro Mazda esse ano), além de ser campeão da USF2000 no ano passado;  com esse currículo e na Cape Motorsports, o piloto de 19 anos não pode ser descartado como um dos principais na luta pelo título.  Neil Alberico foi segundo de seu companheiro no campeonato passado, mas ganhou o Winterfest do ano passado, na categoria USF2000, e fez um ótimo trabalho na Toyota Racing Series (campeonato famoso da Nova Zelândia); entretanto, parece não ter se acostumado ao carro da Pro Mazda, e terminou o Winterfest bem mais atrás de seu companheiro.  Pode ser questão de adaptação, pode ser que não.

A partir daqui veremos duas equipes que alinham carros também na classe Expert da Pro Mazda.  É uma classe especial, que usa carros diferentes para pilotos de mais de 30 anos.  Parece ser categoria para pessoas mais velhas poderem correr e se divertir contra garotos mais jovens, e algumas equipes só se sustentam por causa desse dinheiro extra.

Jay Horak (expert), Nicolas Costa e Jason Bedasse (expert).

M1 Racing

No ano passado estava estreando sua nova forma na categoria, advinda da Team GDT, que se desfez e teve o seu espólio comprado por Paul Mata (sim, esse é o sobrenome do dono da equipe).  No ano passado, a equipe se focou bastante na classe expert, na qual foi campeão em cima da equipe que está logo abaixo no texto; e, ao mesmo tempo, realizou algumas tentativas de alinhar o carro.  Nessas tentativas, obteve algum sucesso com um quarto lugar logo na primeira corrida, mas o seu carro da classe principal participou de apenas quatro rodadas duplas.  Para 2014, pelo visto, os planos não mudaram muito, ou mudaram, porque agora eles tem um piloto de qualidade no carro principal na primeira corrida.  Nesse ano, o único confirmado por enquanto pra fazer toda a temporada é o campeão do ano passado na classe Expert, Jay Horak; e junto com ele em St. Pete corre Nicolas Costa na classe principal e Jason Bedasse na classe expert.

Nicolas Costa, 22 anos, ganhou as duas categorias da F-Abarth (Europeu e Italiano, estilo F-Truck) em 2012, e correu oito corridas pela pro Mazda no ano passado;  obteve grandes resultados com a Pelfrey, chegando a fica em segundo e obtendo mais dois pódios em um carro que mal conhecia.  O acerto inicial vale apenas para essa rodada de St. Pete, mas pode ser estendido se ambas as partes entrarem em acordo.  O piloto carioca seria um dos grandes favoritos, se num estivesse na M1...

Michelle Bumgarner e Bobby Eberle (expert) na World Speed Motorsports

World Speed Motorsports

Equipe que, pela maioria, é cogitada pra lotear o fim do grid com a M1.  Até 2012, tinha a estranha mania de correr em Laguna Seca, e apenas em Laguna Seca.  Em 2013, tomou tento e alinhou um carro no começo do ano, na metade do campeonato, alinhou mais um na classe expert, e chegou na última etapa em Houston alinhando quatro carros.  A equipe andou até que bem com o único carro que fez todo o ano, conseguind três top 5 e o seu piloto (Kyle Kaiser) completou o campeonato na Sétima posição (de nove que fizeram a temporada toda).  Para esse ano, tem um carro alinhado na categoria principal para a filipina Michele Bumgarner (que correu com a WS em Houston) e com Bobby Eberle pelo segundo ano na classe expert.

A piloto correu pela Star Mazda (a Pro Mazda antiga) em 2008, e retornou pra categoria em 2013 pra fazer as duas últimas corridas e nesse ano fez o Winterfest.  Dessas seis provas, ela abandonou uma delas, completou em penúltimo a última prova do Winterfest em Barbber e completou em último todas as outras provas.  Ela pode até melhorar e esturricar completamente minha língua, mas é bem difícil ela num ficar lá atrás (BEM lá atrás) no grid.


Momento Brazzers dos brasileiros:  Pipo Derani e Nicolas Costa (fonte:  globoesporte.com, indycar.com)

Brasileiros

Vamos detalhar mais sobre os brasileiros né, pq passei muito rápido por eles no meu texto.  Ambos são pilotos muito bons, e já demonstraram isso algumas vezes. Apesar de tudo, é provável que o estreante Pipo Derani  se dê melhor, pois já conseguiu um acerto numa boa equipe, que pode conseguir alguns bons resultados.  Ser campeão é difícil, mas batalhar or ele é preciso, e não seria uma grande surpresa.  Nicolas Costa é também um ótimo piloto, já conquistou pódios na categoria no ano passado, mas está complicada sua situação quanto a lugar pra correr.  Pra primeira prova, vai correr na M1 Racing, equipe com quase nenhuma aspiração de campeonatos e vitórias e tal, mas é só o começo do campeonato, e isso tudo pode mudar.






Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário