Em entrevista para o Indy Center Brasil, Felipe Donato afirma...

"Tenho plenas condições de conquistar vitórias neste ano."  Após bons resultados em uma temporada complicada na USF2000 o ano passado, o gaúcho de 19 anos parte para seu segundo ano na categoria confiante na briga por vitórias.



Com uma boa bagagem dos anos que correu de kart, Donato entrou de vez no mundo dos monopostos pela Fórmula Futuro Fiat em 2011, onde terminou o campeonato na sexta posição, com um pódio em sua conta. Voltou aos monopostos em 2013, após se recuperar de lesões e de uma fratura na costela sofrida enquanto voltava ao kartismo no  ano passado, entrou na USF2000 pela JAY Motorsports no Winterfst e pela ArmsUp Motorsports na temporada regular.

No Winterfest, pela JAY Motorsports, teve a primeira metade do campeonato muito comprometida por problemas no carro, e chegou até a não largar numa das baterias; os resultados foram bem melhores na segunda etapa, no circuito na cidade de Palm Beach, onde fez um quinto lugar na primeira bateria (melhor resultado da história da equipe até então), e terminou o rápido torneio na décima primeira posição.  Na temporada regular, já pela ArmsUp Motorsports que iria participar no campeonato regular pela segunda vez em sua história, teve um ano de altos e baixos que culminaram com um quinto lugar em Mid-Ohio.  O saldo final no campeonato foi um décimo oitavo lugar no campeonato, disputado por 32 pilotos.

Para esse ano, o piloto acertou uma temporada completa pela Afterburner Autosports, equipe que terá outros três pilotos em seu plantel e com muito mais condições de fazer bons resultados.  Mas antes ele fez a segunda metade do Cooper Tires Winterfest de 2014 pela JDC Motorsports.

Nessa entrevista, toda a temporada de 2013 e a nova que começará em breve entram em pauta nas perguntas respondidas por Felipe.



IndyCenterBR:  No início do ano passado você acertou pra estrear na USF2000 pela ArmsUp Motorsports, o que você esperava desse acerto e desse ano na categoria?

Felipe Donato:  No ano passado fechamos tudo de ultima hora, fui para lá sem treinar, sem conhecer o carro, sem falar inglês e não tinha nenhuma equipe para correr ainda.  Fechamos com a ArmsUp, fizemos a corrida de Palm Beach e andamos bem, considerando ser primeiro contato com o carro, e tivemos como resultado um quinto lugar, chegando a estar em terceiro na ultima corrida. Esperava ser um ano de aprendizado e procurar alguns bons resultados, mas como estava sem patrocínio e não conseguia treinar foi difícil de me adaptar ao carro e as pistas, e a equipe não tinha muita informações sobre pistas e acertos de carro, por terem feito apenas um ano de USF2000 (em 2012, no ano passado), e meus companheiros de equipes sempre foram mais lentos (o piloto  teve como companheiros o experiente Tim Paul na temporada toda, e o novato Andrew Hobbs, em Sebring e no oval de Lucas Oil), então foi um ano de muito aprendizado, chegamos no final do ano lutando pelas primeiras posições.


ICBR:  O ano passado deve ter sido bem complicado pra você, ainda mais depois de um ano sem ter corrido em monopostos. Essa adaptação sua com o carro foi complicada?


FD:  Foi complicado sim, depois de ter quebrado minha costela e ter ficado mais de um ano longe dos carros, parecia que era minha primeira vez em um monoposto.  Tenho um estilo mais agressivo, o que me dificultou muito na minha adaptação aqui nas pistas dos Estados Unidos também, que tem a tendência de você ter que guiar mais suave.  Foi difícil de me adaptar também pelo fato de esse ser o carro mais potente que já andei, e que boa parte dos meus concorrentes já tinham bastante experiência com monopostos, a maioria deles já corriam de USF2000 ou fizeram os testes de pré temporada, então sempre estávamos um ou alguns passos atrás dos meu concorrentes.


ICBR:  E, já começando um pouco atrás, o ano passado se tornou um ano de aprendizado?


FD:  O nosso objetivo no começo do ano era andar entre os dez primeiros sempre, e chegamos final do ano andando entre os cinco primeiros.  No começo foi complicado e apesar de vários incidentes e algumas penalizações, sempre estivemos entre os dez e da metade do campeonato para frente começamos andar entre os cinco, mesmo que nos resultados finais não tenham dado certo.  Tínhamos condições de fazer um podium no ano passado, então foi um ano de aprendizado e vou tirar toda essa experiência que tivemos para dar o meu melhor nesse ano, e estou muito confiante em brigar pelo título, vou dar o meu melhor e tenho certeza que a minha equipe também.

ICBR:  E mesmo com essas dificuldades, você ainda conseguiu ficar algumas vezes no top 10, e conseguiu até o quinto lugar em Mid-Ohio. Pra você, foi um ano satisfatório? Faz um balanço positivo dele?

FD:  Foi um balanço positivo e de muito aprendizado.Acho que poderíamos ter ido muito melhor, mas por estar tanto tempo parado e querendo dar o melhor de mim acabei cometendo alguns erros quando disputávamos as cinco primeiras posições primeiras posições, então creio que acabei me prejudicando.  Mas neste ano estou com a cabeça no lugar e pronto para brigar por vitórias.  






ICBR:  A sua pré-temporada, você acertou muito recentemente com a Afterburner pra fazer a temporada regular da USF2000, as negociações foram difíceis?

FD:  Na verdade a gente vem negociando desde o fim do ano passado, mas com a falta de patrocínio foi difícil acertarmos a temporada.  Novamente não conseguimos fazer testes antes do começo da temporada, mas felizmente a equipe está me dando um grande apoio e conseguimos um bom acordo para fecharmos a temporada e brigarmos pela ponta.


ICBR:  E parece que ela (sua pré-temporada) tinha outros rumos inicialmente, pois você fez a segunda metade do Winterfest pela JDC Motorsports.


FD:  Na verdade vou correr com um carro novo, então não ficou pronto para fazermos o Winterfest.  Entramos em um acordo com a JDC para fazer a etapa de Barber e desenferrujar um pouco, pois depois que capotei em Laguna Seca na primeira corrida, ainda não tinha andando novamente.  

Laguna Seca foi a penúltima etapa do campeonato de 2013, e a três voltas do final, quando estava na nona posição se envolveu em um toque com Austin Cindric e capotou.  

ICBR:  Como foi sua chegada na sua nova equipe, a Afterburner?  O que mais se destaca nela que você não encontrou nas suas outras equipes?

FD:  Pelo pouco contato que tive, são poucas as diferenças.  Todas equipes são muito bem organizadas,
mas essas poucas diferenças muitas vezes são o fator que determina se você vai vencer ou não. Uma coisa que percebi é que eles são mais ousados em questão de acertos do carro, procuram fazer ajustes mais ousados para achar algo novo no carro, sem medo de errar.  Isso me deixa muito animado, pois sempre que quiser testar algo novo no carro, com certeza eles irão me apoiar.  Gosto de mexer bastante no carro, e sempre que puder gosto de testar algo novo.


ICBR:  Então, creio que também não conhece muito bem ainda seus companheiros de equipe?

FD:  Não, tive pouco contato com eles, apesar de conhecer e já ter corrido junto com os Victor Franzoni e com o Gustavo Myasava. Mas acredito que vamos ter um time muito forte este ano e vamos sempre estar brigando pela ponta.

ICBR:  Você crê que a Afterburner pode te dar condições pra conseguir sua primeira vitória nos monopostos? Você se considera um dos favoritos ao título?

FD:  Com certeza, temos plenas condições de conquistar vitórias neste ano.  Apesar de não ter testado meu carro ainda, acredito Aterburner vai me proporcionar um excelente carro e vamos brigar por vitórias.

Me considero sim um dos favoritos, mas acredito que não temos nenhum favorito para o título este ano.  O campeonato vai ser disputado ponto a ponto, temos vários pilotos rápidos e muito bons, quem for mais constante e estiver sempre pontuando vai sagrar-se campeão.

ICBR:  O Campeonato da USF2000 tem no grid pilotos com quinze até pilotos com vinte e muitos anos, e também uma corrida em oval, rodada No misto de Indianápolis e em pistas clássicas como Toronto, Mid-Ohio e Sonoma. Nesse meio todo, como você espera que seja esse seu ano de 2014 na USF2000?

FD:  Espero que possamos ser o mais consistentes possível durante o campeonato e estar sempre brigando pelas primeiras posições.  Acredito que vai ser muito disputado e difícil este ano. Estou muito focado e com a cabeça no lugar.  Vou dar o meu melhor e tenho certeza que a minha equipe fará o possível para entregar o melhor carro para mim e meus companheiros.



Mais informações sobre Felipe Donato podem ser encontradas em seu site, www.felipedonato.com.br e também em sua página no Facebook, em seu perfil no Twiter e no Instagram (@felipedonato09).

Mais notícias sobre ele, a Afterburner e sobre a USF2000 pelo nosso perfil do twitter e na nossa fan page no facebook

                        
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário