SFHR entra com novas esperanças pra 2014


Sarah Fisher ao lado do sócio da SFHR, Wink Hartman. Foto: Racer
A equipe teve um começo de offseason difícil, mas, segundo Sarah Fisher, ela volta com tudo pra 2014.

Josef Newgarden durante uma parada nos pits em Pocono.
Foto: Racer
Para quem não sabe, a Sarah Fisher Hartman Racing sofreu com a migração de vários funcionários no final de 2013. Entre eles, está o ex-engenheiro de Josef Newgarden, Nathan O'Rourke, que agora é o novo engenheiro de James Hinchcliffe, da Andretti. Este foi um duro golpe para a SFHR, já que eles obtiveram resultados interessantes no final da última temporada.

Outra perda foi a ida do mecânico Nick Allen, também para a Andretti. Porém, a maior de todas, segundo eles, foi o desmembramento do primo de Sarah, Mike O'Gara foi para a Ganassi ser gerente de equipe.

Em resposta, Sarah, seu marido e sócio Andy O'Gara, e seu outro sócio Wink Hartman, que também fornece apoio ao programa da Honda na Indy, decidiram promover o engenheiro assistente Jeremy Milless a ser o engenheiro principal de Newgarden; a chamar Chase Kaufman, da Panther, para preencher a vaga de Milless; além de contratar vários mecânicos e distribuir as responsabilidades de gerenciamento da equipe entre ela, Andy e seu pai, John, um veterano no mundo da Indy.

Em entrevista concedida à revista americana Racer, Sarah comenta sobre as espectativas das mudanças. "Eu acho que não estive animada para começar uma temporada desde 2009", exalta. "Testamos em Sebring semana passada, onde Jeremy teve seus primeiros dias de engenheiro chefe. Josef contou que deu uma das voltas mais rápidas dos últimos anos na pista. E sim, acho uma mudança incrível!"

Sarah também descreveu, em detalhes, sobre como as mudanças podem afetar o desempenho da equipe: " Cada equipe é formada por indivíduos e a perda de coisas importantes afeta cada membro de uma forma diferente. Aplaudo Nathan, porque ele fez as coisas de uma forma muito profissional quando ele saiu em dezembro. Fiquei chocada, sinceramente. Nathan fez grande parte da nossa equipe e nós estávamos num momento de grande alegria, mas fez com que a gente promovesse Jeremy e ele tem feito um trabalho incrível. Contratamos Chase para apoiar o Jeremy e daí adicionamos mais alguns funcionários."

"No lado mecânico, pegamos Grant Ritchey, da Sinden Racing Service. Adicionamos mais alguns e escolhemos Brad Larsen como mecânico líder sob Anden Julian, nosso chefe de equipe. Brad é simplesmente fantástico. Há uma energia real por trás do pessoal agora. Depois que o carro foi pra pista em Sebring, eles funcionaram como uma verdadeira equipe. Mudar, às vezes, é bom."

Sarah está confiante nas mudanças. Foto: Racer
Como Mike é primo de Andy, é provável que a saída dele precisará de um pouco mais de adaptação. "Está tudo bem entre a gente. Ele saiu para buscar uma oferta de trabalhar três anos com a Ganassi com a extensão de mais dois anos. A gente não pôde com isso", explica. "Ele tem um filho de 18 anos que está indo pra faculdade. Eu entendo isso, também tenho filhos. Possuímos ainda um negócio com o Mike, somos uma família. Não fazemos nada para prejudicar os outros, mas no final, certificamos de que cuidamos do nosso próprio negócio e da nossa família. Neste caso, Mike fez o que era melhor pra ele e fomos para o nosso lado."

Segundo Fisher, seu marido, Andy, trouxe seu pai para ajudar nas tarefas que Mike fazia. John tem experiência na antiga Dreyer & Reinbold e na Menard.

"Eu gosto de onde estamos agora e acho que teremos boas coisas pra este ano", termina.

Fonte: Racer
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário