Post Page Advertisement [Top]

O inglês é confirmado no #59 da Carlin, mas não para a temporada toda. Max Chilton correrá apenas nos circuitos mistos e de rua, além das 500 milhas de Indianápolis.

Foi anunciado na sexta-feira (7 de fevereiro), finalmente, o primeiro piloto da Carlin para a temporada 2020 da fórmula Indy, e ele é o inglês Max Chilton.

Essa será a sexta temporada do inglês de 28 anos no mundo da Indy. Ele entrou no automobilismo americano em 2015, após sair diretamente da Fórmula 1 na Marussia para a Indy Lights na estreia da Carlin. 

Com o quinto lugar na Lights, Chilton levou a empresa Gallagher para um quarto carro na Ganassi para estrear na fórmula Indy. Após duas temporadas, o inglês teve como melhor resultado um quarto lugar nas 500 milhas de Indianápolis de 2017 (onde liderou a maior parte da metade final da prova) e o 11º lugar no campeonato de 2017. No entanto, no geral, foi uma passagem sem muito brilho, tendo apenas um Top 5 e oito Top 10 em duas temporadas e 33 corridas.

Para 2018, a Ganassi reduziu de quatro para dois carros em seu plantel e Chilton teve de migrar para a Carlin, que estava estreando na fórmula Indy naquele ano. Essa foi a única temporada que ele fez completa pela equipe, terminando o ano no 19º lugar.

No ano passado, Chilton não fez a temporada completa onde, após não se qualificar para as 500 milhas de Indianápolis, fez as corridas apenas em circuitos mistos e de rua e Conor Daly correu nos ovais. Para esse ano, o acordo é o mesmo, com o inglês fazendo apenas as provas de mistos, curcuitos de rua e no oval de Indianápolis, mas sem definição de quem correrá nos ovais.

Esse anúncio era o mais esperado da Carlin. O pai de Max, Grahame David Chilton, é um dos sócios da Carlin e injeta um bocado de dinheiro na equipe e, assim, a permanência de Max na equipe dependia mais do próprio piloto do que da vontade da equipe, já que, nos últimos tempos, Max Chilton se tornou mais temerário a correr nos ovais, ainda mais com o equipamento mais defasado da Carlin.

O destaque maior ficou por conta desse ser o primeiro anúncio dos planos da Carlin para a temporada já desse ano. A equipe vem silenciosa desde o fim da temporada passada e, quando as outras equipes estão praticamente definidas para a temporada, a Carlin vem começando a firmar seus contratos com pilotos. A equipe de Trevor Carlin também pretende alinhar um segundo carro para a temporada toda e o #31 estará presente nos testes coletivos em COTA, nos dias onze e doze de janeiro.

Além disso há a indefinição do piloto para o #59 nos ovais. Os principais postulantes para a vaga ainda é Conor Daly (que correrá pela Andretti apenas nas 500 milhas de Indianápolis) e Matheus Leist, que correrá no IMSA em 2020 após correr a temporada desse ano no segundo carro da Foyt. Para o segundo carro, basicamente, quem chegar com o dinheiro suficiente para correr já entra no bólido da equipe, estando envolvido nas negociações até mesmo o brasileiro Sérgio Sette Câmara, que está a pé após não encontrar vaga tanto na Fórmula 1 quanto na Fórmula 2.

Um comentário:

  1. Conor correr na ECR e nos mistos e Indy 500. nos ovais tio Ed que correrá e ele poderia fazer a temporada completa por duas equipes onde o tio Ed correndo ele fazia a vez do Chilton, e poderia ate rolar uma parceria das equipes, o que seria bom pra Carlin ganhar Know-How na categoria já que ambas trabalham de Chevrolet.

    ResponderExcluir

Bottom Ad [Post Page]