Post Page Advertisement [Top]

Foi a quarta vitória de Takuma Sato na Fórmula Indy
A terceira etapa da Fórmula Indy em 2019 aconteceu neste domingo no Barber Motorsports Park. A Honda dominou o Grande Prêmio durante todo o fim de semana. Takuma Sato fez a pole e na corrida foi soberano durante quase o tempo todo. Liderou 74 das 90 voltas. Além da vitória nipônica, Newgarden fez uma grande prova e manteve a liderança do campeonato. Outro destaque foi o sueco Marcus Ericsson que fez boa corrida e terminou no grupo dos 10 primeiros. A corrida teve bons momentos e boas ultrapassagens.

Largada queimada

Logo na largada, Ed Jones incendiou tudo como se fosse Nero e ultrapassou 17 carros antes da linha de partida. Takuma Sato se manteve na frente e Rossi ganhou 3 posições pulando de oitavo para quinto. Quem se deu mal foi Will Power que perdeu 3 posições. Após a revisão da largada, na terceira volta saiu a punição para Ed Jones. Um drive through para deixar de fazer cosplay de Dick Vigarista.

A revisão da Indy apurou também um possível incidente entre Rahal e Dixon e não houve nenhuma punição. Na volta 9, Josef Newgarden fez sua parada. Na volta 10 foi a vez de Rosenqvist e muitos outros carros pararem. Logo em seguida Will Power fez seu pit stop. Sato controlava a liderança com 1.7s de vantagem para Dixon. Na volta 12 foi Pagenaud que entrou para os pits. Colton Herta começou a perder potência e foi ultrapassado por vários carros, inclusive levou um toque de Ericsson. Quando Hunter-Reay fez seu pit stop na volta 13, Herta já estava em vigésimo lugar e caindo pelo grid.

Stint mais longo

Sato fez sua parada na volta 18 e teve problemas na troca de uma das rodas. A parada de onze segundos e meio foi péssima e podia custar a liderança do japonês. Rahal e Dixon entraram na volta 19. Dixon saiu sem problemas mas Rahal não. Depois de muito tempo parado, o americano conseguiu retornar e voltou apenas em décimo sexto. Apesar dos erros e problemas, Sato conseguiu ficar a frente de Dixon. Alexander Rossi esticou seu stint e ficou com a liderança mas logo parou na volta 20. Quem realmente fez valer a tática de esticar o stint foi Bourdais que ficou com a liderança por um bom tempo.

Rossi voltou pra pista em oitavo e levando sufoco de Newgarden. Pagenaud tocou em Ben Haley. Will Power conseguiu ultrapassar Newgarden na volta 25. Hunter-Reay veio no embalo e tentou passar também mas não conseguiu. Dixon pressionava Takuma Sato pela vice liderança. Na volta 26, Newgarden tentou devolver a ultrapassagem e Hunter-Reay apenas observava a disputa tentando achar um espaço para passar também. A briga dos 3 pilotos pela oitava posição era muito boa. Na volta 27, Power perdeu o controle do carro e rodou como se fosse Vettel com a Ferrari no GP do Bahrein. Power caiu para décimo segundo. Pagenaud passou por Power que ainda estava tentando se recuperar e o australiano da Penske caiu para décimo terceiro e resolveu parar.

Power entrou na volta 28 e voltou lá no fundo em vigésimo segundo. No meio do bolo, Rosenqvist lutava com Pato O'Ward pela décima terceira colocação. Bourdais e Pigot pararam na volta 29 e a liderança voltou para o colo de Sato. Pato O'Ward ganhou a posição contra o sueco da Ganassi. Jack Harvey parou na volta 30. Hunter-Reay permanecia pressionando Newgarden enquanto Ben Haley seguia atrapalhando todo mundo na pista e Ericsson seguia de perto a briga entre Andretti e Penske.

Motor Honda deixa Colton Herta na mão

Na volta 33, Colton Herta não resistiu e recolheu seu carro para a garagem. Newgarden resolveu fazer sua segunda troca na volta 34 e colocou pneus duros. Pagenaud disputava o oitavo lugar com Bourdais e o piloto da Coyne se manteve a frente. Ericsson e Rahal pararam na volta 35. Pato O'Ward chegou em Pagenaud na volta 36 e passou a pressionar o francês. Pagenaud, Ferrucci e Hunter-Reay fizeram pit stop na volta 37.

Newgarden e Ericsson disputavam a décima quinta posição e passaram de passagem por Matheus Leist. Sato também fez sua segunda parada e colocou pneus duros. Dixon estendeu sua janela até a volta 39. A liderança ficou com Hinchcliffe que parou na volta 40. A direção de prova passou a examinar um incidente entre Rahal e Ericsson nos pits. Nenhuma punição aplicada. Quem assumiu a liderança foi Rossi, mas logo ele parou na volta 41.

Sato dispara novamente

Outra vez a ponta voltou pras mãos de Sato que era o piloto mais dominante na prova. Dixon passou a atacar Bourdais na volta 43. O francês tinha um bom acerto e se defendeu bem mesmo estando com pneus duros, mais gastos e tentando economizar combustível para sustentar sua estratégia. Sato aproveitou e abriu mais de 7s de vantagem para os dois.

Na volta 47, Pagenaud atacava Power enquanto era atacado por Rahal. Rosenqvist e Pato O'Ward duelaram novamente na volta 49 e o mexicano levou a melhor. Rahal continuava perseguindo Pagenaud que também continuava pressionado Power. Quem se aproximou desse bolo foi Pato O'Ward que veio pra cima de Rahal. Finalmente na volta 50, Pagenaud mais uma vez superou Will Power. O carro #12 decidiu fazer sua parada na volta 51 e voltou de novo lá pro final em vigésimo.

Na volta 52 a coisa ficou quente no pelotão da frente foi Hinchcliffe que passou a pressionar Scott Dixon já que o neozelandês não conseguia chegar em Bourdais. Hunter-Reay e Ericsson disputaram a sexta posição na volta 53. Rossi também chegou na briga do pelotão da frente e observava os ataques de Hinchcliffe sobre Dixon.

Rahal foi o segundo prejudicado pelo motor Honda

No meio do pelotão, Pagenaud colocou um retardatário entre ele e Rahal e o piloto do carro #15 se atrapalhou e não conseguiu se aproximar novamente do carro da Penske. Logo depois, Rahal perdeu potência e parou seu carro no meio da pista. A Indy não acionou a bandeira amarela porque muitos carros estavam em janela de pit stop. Max Chilton foi fechado por Tony Kanaan na entrada do pit lane e bateu no muro mas a corrida seguia em bandeira verde.

Os líderes imediatamente vieram para os pits. Na disputa dos boxes quem se deu bem foi Scott Dixon que ganhou a posição de Bourdais. A bandeira amarela foi acionada na volta 58. Depois de 7 voltas em amarela veio a relargada na volta 66. Bourdais e Newgarden eram os únicos do top 10 com pneus macios. Leist estava atrás de Sato e atrapalhou muito a aproximação de Dixon. Na volta 67 quando todos passaram por Leist, o brasileiro foi jogado pra grama e caiu para vigésimo primeiro. Newgarden usou o push to pass e ultrapassou Ericsson e Hunter-Reay e logo depois passou também por Hinchcliffe para pular para quinto. Ericsson também passou por Hunter-Reay e Pagenaud passou a atacar o carro #28. 

Na volta 70, Rossi pressionou Bourdais pela terceira posição. Sato seguia administrando sua liderança com 1.9s de vantagem para Dixon. Rossi colou em Bourdais na volta 76 mas não conseguiu ultrapassar. Na volta 79, Power vacilou e embarrigou a curva 5 onde quase foi ultrapassado por Rosenqvist. Na volta 82 foi Bourdais quem resolveu atacar. O francês fez sua melhor volta e foi pra cima de Dixon.

Final morno

Sato seguia na frente com a mesma vantagem e cozinhando o final da prova. Na volta 85, Newgarden passou a pressionar Rossi. Mais uma vez a equipe errou na estratégia e obrigou Tony Kanaan a fazer um splash an go faltando 5 voltas pro final e o baiano caiu para décimo oitavo. Sato ampliou a vantagem para 2.5s mas logo em seguida deu uma escapada na grama e Dixon se aproximou. A diferença caiu para 1.5s.

No final, Newgarden tocou roda com roda com Rossi e fez uma belíssima ultrapassagem para ganhar a quarta posição. Bourdais tentou mais uma vez ultrapassar Dixon na volta 89. Sato abriu 1.8s e foi pra última volta com boa vantagem. Sato fritou os pneus ainda enquanto Bourdais seguia pressionando Dixon antes da linha de chegada. Sato venceu a corrida, Dixon ficou em segundo e Bourdais em terceiro. No meio do bolo, Rosenqvist tirou Power do top 10 e no fundo Leist ganhou a vigésima posição ao superar Ben Haley.

Punições da corrida

A Indy mais uma vez puniu vários pilotos por infrações dentro do pit. A principal foi de Jack Harvey na volta 30 onde ele excedeu a velocidade nos pits e que custou um drive through. Além dele, Spencer Pigot teve uma saída insegura do pit durante a bandeira amarela que guinchou o #21 para o fundo do pelotão na relargada. Além deles, Rahal, Ferrucci e Rossi tomaram multas em dinheiro. Pigot também tomou multa em dinheiro pela infração no pit. E quase no final da prova soltaram também uma multa para Colton Herta. A indústria da multa não é exclusividade das cidades brasileiras.

Confira como ficou o resultado final do GP de Barber.

Com 11 trocas de liderança, a corrida foi apenas razoável para os padrões da Indy

Depois de 3 corridas a tabela de pontuação ficou assim...

O bom desempenho de Newgarden hoje foi o suficiente pra manter o garoto na liderança enquanto Dixon já se credencia ao hexa
Agora a Fórmula Indy embarca para Long Beach na Califórnia onde correrá no próximo final de semana. Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]