Post Page Advertisement [Top]

Piloto japonês conquista a primeira pole dele e da equipe Rahal na temporada 2019. Bandsports transmite ao vivo a corrida na tarde de domingo
Depois de mais uma tumultuada sessão de treinos livres e a ameaça de tempestade. A IndyCar se preparou para a sessão de classificação dividindo os carros em 2 grupos como sempre faz em circuitos mistos e de rua. Antes da classificação, a Indy ainda resolveu limpar a pista para tentar proporcionar mais aderência pois os carros estavam com dificuldades e os pilotos reclamando de pouca aderência durante os treinos livres.

Rosenqvist é a primeira baixa

O primeiro grupo começou e logo houve um incidente entre Matheus Leist e Santino Ferrucci que passou a ser investigado pelos comissários. Nenhuma punição foi aplicada e a sessão transcorreu com absoluta normalidade. Até a parada para troca de pneus quem liderava era Alexander Rossi com 1:08:8013. O brasileiro Matheus Leist estava incluso no grupo dos 6 classificados. Jack Harvey era o nono e Ferrucci era o último colocado. Todo mundo colocou pneu macio e os tempos começaram a cair e a classificação alternou vários pilotos na ponta. No final, Spencer Pigot foi o mais rápido com 1:08:3548 e foi o único Chevrolet classificado para o Round 2. Além dele avançaram: Herta, Ferrucci em um surpreendente terceiro lugar, Bourdais, Rossi e Harvey. Marco Andretti mais uma vez ficou fora logo no começo. Leist e Kanaan também cumpriram seu papel. A surpresa foi a eliminação de Felix Rosenqvist da equipe Ganassi.

Mais uma vez a equipe Foyt deixou os 2 brasileiros na mão. Leist quase conseguiu a classificação desta vez
Drama da Penske

No grupo 2 novamente tudo foi tranquilo na pista. Na primeira metade quem dominou foi Scott Dixon enquanto que Takuma Sato estava em sétimo e resolveu antecipar a sua troca de pneus para pegar a pista livre. Quem estava em desespero era a Penske que só tinha Will Power no grupo dos classificados. Newgarden e Pagenaud estavam irreconhecíveis na pista. Pato O'Ward fazia um grande trabalho e era o quarto colocado. Ao sair a quadriculada muita coisa mudou na classificação. A tática de Sato deu certo e ele passou em quinto. Pato O'Ward despencou para nono. O que não mudou foi a liderança de Dixon e a falta de ritmo da Penske. Newgarden terminou em oitavo e Pagenaud bateu na trave em sétimo por apenas 0.40s. Dessa forma, Power foi o único Penske e o segundo Chevrolet que passou para o Round 2. Ben Haley ficou em último durante toda a sessão a exemplo do que Zack Veach fez no grupo 1.

Newgarden e Pagenaud ficando de fora do Round 2 era um sinal de que as coisas não estavam boas para a Penske
Chocolate da Honda

Num confronto de 10 contra 2 a favor da Honda, o Round 2 começou com Sato sendo o mais rápido. Power ainda se mantinha em sexto. Os 2 carros da Andretti e da Coyne estavam fora e Pigot era apenas o penúltimo. Depois da troca de pneus a coisa ficou mais animada. Pigot pulou para a liderança e Jack Harvey, que vinha fazendo um trabalho sólido até então, mas que acabou errando na sua volta e caiu para a lanterna da classificação. No final, James Hinchcliffe superou Pigot e deu pinta de favoritismo para o Fast 6. Quem sofreu de forma traumática foi Will Power. O australiano foi eliminado por Sebastién Bourdais no último instante e ficou fora do Fast 6. 

A Chevrolet levou somente 1 carro para a última fase e a Penske ficou fora pela primeira vez desde a prova de Long Beach em 2014
Dobradinha da Rahal Letterman

Chegou o momento para o Fast 6 e a definição das 3 primeiras filas. O tempo nublado de todo o fim de semana era ameaçador mas a chuva foi afastada definitivamente e passou ao sul do autódromo. Tirando Dixon, não havia nenhum piloto de equipe grande no Fast 6. A disputa virou uma verdadeira loteria. Rahal tomou a ponta com 1:08:7951. Pigot e Sato vieram com pneus duros. Quem mais se aproximou foi Dixon com 1:08:8081 e ficou em segundo. Sato colocou pneu macio para apenas uma volta rápida. Pigot preferiu guardar um composto macio novo pra corrida e ficou toda a sessão com seu jogo de pneus duros por isso ele terminou em sexto. Rahal se mantinha no topo até o último giro. Dixon não conseguiu superá-lo e Hinchcliffe decepcionou. Bourdais não chegou a fazer uma volta efetiva. Então no último instante, a grande surpresa foi quando o japonês Takuma Sato brilhou e cravou a pole position com 1:08:5934! Um prêmio aos esforços diferenciados do seu estrategista que foi ousado e buscou alternativas em relação aos outros carros por toda a classificação.

Foi a primeira dobradinha da equipe Rahal Letterman Lanigan Racing desde Nashville em 2004
O carro #30 sai na frente amanhã. Essa foi a oitava pole de Takuma Sato na carreira.


É o primeiro grande resultado de Sato desde a vitória na Indy 500 de 2017
Confira como ficou o grid de largada para o GP de Barber.

O vexame da Penske foi tão grande que Leist vai largar na frente de Newgarden. Que fase
A largada está prevista para às 17h15 mas antes acontecerá um Warmup às 13h10. O resumo de todas as atividades você confere aqui no blog e tem também a cobertura em tempo real dos colegas do IndyCar da Depressão no Twitter e os memes na página deles no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]