Indycontas: Quais as chances de cada um ser campeão?

Will Power está atrás de Simon Pagenaud nos pontos e agora tem de correr a frente do francês para conseguir levar o bi. Mas, o quão longe Power tem de ir para ser campeão e o quanto Pagenaud está tranquilo na liderança?
Os (poucos) postulantes ao título desse ano.
Pois é, a temporada de 2016 já está em sua última etapa, e teremos apenas dois pilotos na briga pelo título da Astor Cup. Pagenaud vem como líder do campeonato, com 555 pontos e quatro vitórias. Com o mesmo número de vitórias mas com 43 pontos a menos no campeonato, vem o australiano Will Power.  

Parece loucura minha, mas não é tão difícil o australiano mais legal do grid ser campeão novamente sobre o francês mais legal do grid.  Isso porque a última etapa do campeonato, a ser realizada em Sonoma, oferecerá pontuação dobrada para a posição de cada piloto. Assim, a vitória vale 100 pontos, o segundo lugar vale 80, o terceiro 70 pontos e assim por diante, como na imagem abaixo:


Vamos as possibilidades, Pagenaud é campeão se:
  • Chegar até em quarto lugar na prova.
  • Chegar até em nono se Power não ganhar a prova.
  • Chegar em 13º se Power não ganhar ou chegar em segundo.
  • Chegar em 17º se Power não chegar no pódio.
  • Chegar em 19º se Power não chegar para cima do quarto lugar.
  • Chegar até em penúltimo se Power não chegar no Top 5.
Bem, tem também as bonificações (+1 ponto por liderar ao menos uma volta, +2 por liderar mais voltas e +1 pela pole). Para as contas, considerei que Power conseguia a bonificação toda, enquanto Pagenaud não conseguia bonificações, caso Power não consiga as bonificações, suas opções de chegada diminuem ainda mais.

Agora, com as hipóteses esclarecidas, parece ainda mais loucura afirmar que o campeonato está aberto. Mas tenho três argumentos que podem convencer você de que o campeonato está em aberto.

1. No ano passado Montoya tinha diferença maior e perdeu.

Lembram do ano passado?
A decisão do campeonato passado tinha contornos parecidos. Montoya era líder do campeonato com 34 pontos a mais que Graham Rahal e 47 pontos a frente de Dixon, o terceiro colocado. Todos apontavam apenas Montoya e Rahal com reais postulantes ao título e até a transmissão se focava diretamente nos dois, julgando o trabalho de Dixon e dos outros três postulantes ao título digno dos doze trabalhos de Hércules.

Mas, durante a prova, ficou cada vez mais claro as chances de Dixon de ser campeão e, no final, Dixon venceu com Montoya chegando em sexto, ambos empatando em pontos e Dixon se sagrando campeão pelo número de vitórias.

O que aconteceu no ano passado pode se repetir novamente esse ano. Será que o raio cai duas vezes no mesmo lugar??

2. As combinações que resultam em Power campeão já aconteceu três vezes durante a temporada.

Power vencer e Pagenaud chegar lá atrás já aconteceu antes.
A constância de Pagenaud parece tão acachapante que ele ficar abaixo do quarto lugar enquanto Power vence parece altamente improvável, mas isso já aconteceu três vezes em 2016.

Em Road America, Will Power, mesmo muito pressionado por Tony Kanaan, venceu a prova quase de ponta a ponta, enquanto Pagenaud vinha em segundo lugar, mas teve sua estratégia atrapalhada por uma bandeira amarela e caiu para o 13º lugar na prova. 

Em Toronto, power se aproveitou de uma bandeira amarela para parar na hora certa e vencer em Toronto. Pagenaud era um dos ponteiros da prova e, novamente, foi atrapalhado na estratégia, caiu para o nono lugar e lá terminou a prova.

Em Pocono, Pagenaud sozinho na volta 157 em seu calcanhar de Aquiles: os ovais. Power venceu após uma parada nos pits rápida o suficiente para lhe por na ponta da prova e ganhar sobre Mikhail Aleshin.

Se qualquer um desses três resultados se repetir na prova final, Power é campeão. Três oportunidades em catorze possíveis não é tão ruim, dada as circunstâncias. Ainda mais com o terceiro argumento:

3. A última vez que o líder do campeonato ficou no top 4 na última prova foi em 2012

Última vez que o líder do campeonato ganhou a última prova: 2007
Normalmente, líderes não vão muito bem em provas finais. A última vez que o líder do campeonato faltando apenas uma prova para terminar a temporada chegou entre os quatro primeiros foi em 2012, com Ryan Hunter-Reay; a última vez dele no pódio foi em 2009, com Scott Dixon chegando em terceiro em Chicagoland e perdendo o campeonato para Dario Franchitti.

A última vez que o líder do campeonato faltando uma prova ganhou a corrida final foi na Champ Car, com Sebastien Bourdais, em 2007. Na IRL, esse tabu foi quebrado também em 2007, quando Franchitti liderava o campeonato apenas três pontos a frente de Dixon e o escocês se deu melhor no drama de combustível em Chicagoland para vencer e sagrar campeão em 2007.

Isso foi em 2002.

O retrospecto não é lá tão bom para o francês da Penske, e tudo pode virar a favor de Power.


Essa postagem toda foi pautada em Pagenaud perder para Power ganhar porque estou torcendo para Power, e torcerei mais do que nunca para que o francês se lasque novamente na estratégia nesse domingo, a partir das 20 pras oito da note. De nada.

Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Franchitti era líder do campeonato faltando uma corrida em 2007. Venceu a prova final em Chicagoland e faturou o título sobre Scott Dixon.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, minha memória me traiu achando que o Dixon liderava por três pontos.

      Obrigado pela correção!!

      Excluir