Pagenaud vence a terceira seguida e dispara na liderança do campeonato

Francês da Penske supera Castroneves nos pits e vence pela segunda vez o Grande Prêmio de Indianapolis. Hélio termina em segundo e Tony Kanaan se envolve em acidente com Bourdais no começo e termina em último.


Pagenaud vence pela segunda vez o GP de Indianapolis. (Foto:  IndyCar)

A corrida começou e, logo na primeira curva do traçado misto de Indianapolis, ocorreu a primeira amarela da tarde: Kanaan desviou de Dixon e acabou acertando Sebastien Bourdais, que tentava ultrapassar por fora. Ambos se chocaram e acertaram o muro. 

Kanaan abandonou a prova e Bourdais ficou boa parte da corrida tentando arrumar a roda que se chocou com o muro. Ainda vamos falar o nome dele neste resumo.


A barbeiragem do Brasileiro e do Francês no início da prova. (Foto: Reprodução/Twitter)

A relargada veio na volta cinco. Na volta seguinte, Power era pressionado por Alexander Rossi e, na curva após a reta oposta, o australiano da Penske rodou e patinou na grama, num erro de freada bastante infantil que volta e meia acontece com o Poderoso Will. Melhor para Rossi que ganhou a posição.

A corrida permanecia morna até a primeira janela de pits, que começou na volta 21. Antes disso, alguns pilotos que largaram la de trás, como Castroneves, Rahal, Daly e Newgarden, fizeram paradas antecipadas na tentativa de uma futura bandeira amarela acontecer e embaralhar a prova.

Pagenaud parou na volta 22, sendo que Kimball, então segundo colocado, parou na volta seguinte. O Insulina Boy da Ganassi voltou a frente de Pagenaud, mas o francês da Penske, mostrando que tinha o melhor carro do fim de semana, ultrapassou de volta na reta oposta do circuito, para assumir novamente a liderança da corrida.

E então veio a segunda amarela da prova: Sebastien Bourdais, após 38 voltas nos pits tentando arrumar a roda, volta para a pista e, logo na saída dos pits, para o seu carro. Com isso, Hélio, Rahal e Daly, que haviam acabado de parar, se beneficiaram bastante. Mas precisariam economizar bastante combustível para entrar na mesma janela de pits dos líderes.

Na volta 40 os pits se abriram e os líderes aproveitam para fazer as suas segundas paradas. Hinchcliffe foi bem e ultrapassou Kimball e Pagenaud nos boxes, voltando atrás apenas de Hélio e Daly.

A bandeira amarela durou cerca de oitos voltas, porque os fiscais de pista resolveram limpa-la dos zilhões de pedacinhos de borracha que vão se soltando dos pneus ao longo da corrida. E também porque JR Hildebrand, que icou sem combustível e precisou ser rebocado para os pits na volta 42. Bom para Hélio e Daly, que conseguiram economizar o combustível necessário.

Na relargada, na volta 46, Hélio foi muito mal e foi ultrapassado por Daly, que assumia assim a liderança da prova. Pagenaud e Kimball ultrapassavam Hinchcliffe de volta. Daly desgarrava de Hélio na frente, imprimindo um ritmo bastante forte e gerando dúvidas se o seu rendimento não o comprometeria no final da prova. 

Enquanto isso, Hinchcliffe subia de rendimento e ultrapassaria novamente Kimball. O americano do carro #83 tentou devolver a ultrapassagem mas acabou acertando de leve a asa traseira de Hinchcliffe, escapando um pouco da pista e perdendo assim rendimento, e posições, para Dixon e Rahal.

A última janela de paradas veio na volta 60 com Scott Dixon, e em seguida com Daly e Hinchcliffe. Hélio, então líder, parou na volta 62 e Pagenaud parou uma volta depois, voltando na liderança após boa volta antes de entrar nos pits.

A partir de então, tivemos algumas trocas nas primeiras posições, principalmente pela queda de rendimento de Conor Daly, que perdeu posições para Hinchcliffe e Rahal nas voltas 70 e 76, respectivamente.

Na volta 77, Carlos Muñoz, então décimo colocado, rodou na curva onze do circuito e perdeu posições para Alexander Rossi e Spencer Pigot, ao menos conseguiu voltar e não causou bandeira amarela.

As últimas voltas foram tranquilas para Pagenaud, que seguiu firma rumo à sua terceira vitória seguida na temporada, para isolar-se de uma vez por todas na liderança do campeonato, com 242 pontos, contra 166 de Scott Dixon e 160 de Montoya. Uma sólida distância de 76 pontos.

Hélio fez boa prova e, mesmo pressionado por Hinchcliffe no final, conseguiu manter-se em segundo. Já Tony Kanaan se envolveu em acidente com Bourdais logo na curva 1 da primeira volta e abandonou a prova, terminando assim em último lugar.

Confira abaixo o resultado final da prova:


A IndyCar tira o domingo de folga e, já nesta segunda-feira (16), começam as atividades livres para a 100ª edição das 500 milhas de Indianapolis, que ocorrerá no dia 29 de maio. Até lá!

Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário