A INDYCAR e sua nova tentativa de correr na China.

Parece mentira, mas nem é. Uma comissão da prefeitura de Pequim, capital da China, quer uma corrida em um circuito de rua na cidade AINDA ESSE ANO.
E lá vamos nós...
Anteontem (9 de maio), aconteceu, em um hotel no sudoeste de Pequim e com a presença das duas principais emissoras de TV estatais, uma conferência de lançamento da Beijing INDYCAR 600. Essa é a mais nova tentativa da China organizar um evento da Indy em seu solo.

A ideia dos organizadores é organizar uma corrida extra-campeonato em outubro desse ano, em um circuito de rua montado no distrito de Fengtai, um dos mais populosos, com vários pontos turísticos e próximo as instalações dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008. E, a partir de 2017, a corrida integrar o calendário da Indy.

Se você acompanha a Indy a mais tempo ou com mais afinco, vai se lembrar que essa é a terceira tentativa de se levar o automobilismo americano para a China, com a Champ Car tentando ir para a própria Pequim em 2007 e a IRL-INDYCAR tentando fazer um evento em Qing Dao, em 2012. E ambos não deram certo.

Então, por que esse evento funcionaria?
Carro de 2013, logo de 2014. Essa é a China atual.
Bem, dessa vez há duas vantagens dessa terceira tentativa perante as outras duas:

Primeiramente, a comissão e os apoiadores do evento. O presidente dessa comissão é o mesmo preidente da comissão organizadora dos jogos olímpicos de 2008 (Xiaoyu Jiang), e o comitê é formado por vários executivos do governo (pois, na China, não existe tradução correta para 'político') na área de cultura, eventos, transporte e esportes.  Isso mostra que o evento não tem apoio apenas da prefeitura da cidade, como nas outras duas tentativas, mas o apoio vem da esfera Federal da China.

E finalmente, como apontado pelo próprio Xiaoyu, o momento está bem propício para essa troca entre EUA e China no automobilismo. A indústria automobilística chinesa é uma das que mais crescem no mundo e é um dos setores da economia que mais cresce internamente também. A cidade de Pequim foi recém escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno em 2022 e a sociedade chinesa cada vez mais aberta a eventos internacionais. O GP da china de F1 já se consolidou no cenário mundial e atraiu várias outras categorias, criando um certo público que gosta de corridas.



Fonte: xiaofei news.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Essa história de que a China se tornou uma "sociedade aberta" ao mundo, é faixada na minha opinião. Apesar de na realidade a China estar "bombando" em todos os âmbitos, isso nada tem a ver com uma suposta postura mais leve e aberta deles.

    Acho que passam essa imagem como uma tentativa de enganar os bobos no ocidente, para em seguida e gradativamente, influenciarem a política no mundo por meio do seu "partidão democrático" chinês. Aquilo lá ainda é uma ditadura pesada. Já reparou que alguns eventos mundiais no futuro, como a Copa 2018 na Rússia, 2022 no Catar (e tantos mais que eu talvez não saiba), ocorrerão em países "abertos" e "democráticos"?

    Mudando de assunto, eu também duvido que essa corrida venha a acontecer, só vendo para crer mesmo.


    Um abraço!

    Karl

    ResponderExcluir