USF2000: Jamin vence, bate uns 18 recordes e sagra campeão!

O jovem francês teve mais um fim de semana dominante em Laguna Seca e levou o título da USF2000 de forma magistral esse ano, com 9 vitórias, 15 pódios e o novo recorde de poles num mesmo ano.

Bem, seguindo na ordem do fim de semana, a USF2000 teve duas sessões de treinos na quinta e duas na sexta-feira, mas todas elas tiveram a mesma tônica e seguiram a cartilha dos resultados da categoria nesse ano:

Os três pilotos que não são estreantes (e ignoramos Kevan Soori aqui) comandam as sessões.  Segundo minhas estimativas, Nico Jamin, Jake Eidson e Aaron Telitz lideraram juntos mais de 70% das sessões da USF2000 esse ano (o resto foi liderada por Anthony Martin, Jordan Lloyd, Victor Franzoni, Luke Gabin ou choveu).


Em Laguna Seca Mazda Raceway, Jake Eidson começava muito bem o dia, liderando as sessões pela manhã, mas conforme as atividades iam se desenvolvendo, Jamin melhorava e assumia a ponta da sessão. Aaron Telitz novamente apenas fez figuração nos treinos e o novato que teve melhor desempenho foi Luke Gabin, que chegou a ficar em segundo lugar nas sessões do segundo dia.


Na qualificação, mais Jamin na ponta, mas com toques de emoção dessa vez. Nico tinha as duas melhores marcas faltando quatro minutos para o fim do treino, quando todos vão para a pista dar aquelas duas últimas voltas rápidas e fazer seus melhores tempos. Todos foram, menos ele que teve um pequeno problema na suspensão. 

Mas nem precisou. Nem Eidson, nem Telitz nem um dos novatos conseguiu passar Jamin, que conseguiu as duas poles da etapa final. A Cape Motorsports fechou com chave de ouro e Telitz ficou com as duas outras vagas nas primeiras filas (é muito estranho ter dois grids definidos, tem que falar tudo no plural), enquanto Eidson e Martin ficaram com as duas segundas filas, os quatro pilotos da Team Pelfrey nas terceiras e quartas filas e assim por diante:


Corrida 1


A largada foi casualmente tranquila e com poucas mudanças lá na frente. Jamin e Telitz se mantiveram na ponta, e Martin conseguiu largar melhor que Eidson, conseguindo o terceiro lugar antes mesmo da freada da curva 1. Na volta seguinte, Telitz passa dos limites na segunda perna do Saca-rolhas e passeia um pouco fora da pista, voltando na sétima posição. 

Telitz errando de novo e tendo que escalar o grid novamente.
A corrida ficou mais morna, com Jamin abrindo diferença para Martin e Eidson, que não conseguia se aproximar o suficiente para um movimento de ultrapassagem. Com essa morosidade, vamos ao resto do grid.

Luke Gabin e os pilotos da Team Pelfrey continuavam do quinto até o oitavo lugar até a volta cinco, quando Keyvan Soori passa Garth Rickards pela oitava posição. Com o erro de Telitz, Gabin assumiu o quarto lugar, Nikita Lastochkin o quinto, Ayla Agren o sexto, com Telitz em sétimo, Soori em oitavo e Rickards em nono.

Na volta oito aconteceu o erro mais bizarro da etapa. Agren estava próxima de Gabin e iria logo tentar a ultrapassagem, mas na curva dez ela ficou próxima demais e atingiu o carro de Gabin. Os dois pararam na área de escape de brita, abundantes em Laguna Seca, e voltaram para a pista, mas quase trinta segundos atrás de todo o pelotão.

Ultrapassar Garth Rickards (amarelo) estava especialmente fácil.
Com isso, Lastochkin era o novo quarto colocado, seguido por Telitz, Soori e Parker Thompson, que também passou Rickards. Na confusão gerada pela batida de Gabin e Agren, Lastochkin conseguiu abrir cerca de cinco segundos para os outros competidores.

Com seu equipamento superior, Telitz desconta esses segundos todos em duas voltas e passa Lastochkin na volta onze. Thompson e Soori logo também chegam em Lastochkin, enquanto Luo Yufeng ultrapassava Garth Rickards. 

Eles seguiram nessa sequência até a volta final, quando Lastochkin fica sem combustível a duas curvas do fim da prova. Se aproveitando disso, Thompson e Soori ultrapassam Lastochkin e completam a prova em quinto e sexto, respectivamente. Já bem na frente, Telitz completa a prova solitário no quarto lugar.

Voltando ao grupo da frente, Eidson tenta de todas as formas uma aproximação mais forte sobre Martin, mas a diferença não saiu da casa de seis décimos a um segundo e meio, e o Australiano passa em segundo lugar, deixando Eidson em terceiro. Ah é, Jamin venceu de novo.
Resultados e pódio. Eidson perdeu até no fato de ter que ficar com a gordinha.
Corrida 2
Os nove pilotos que largaram nas primeiras posições da corrida 1 também largaram nas mesmas posições na corrida 2: Jamin na ponta seguido por Telitz, Eidson, Martin, a esquadra da Pelfrey (Gabin, Lastochkin, Agren, Rickards) e Peter Portante.
Largada bizarramente normal.
Na última largada do ano, justamente quando eu achava que seria algo bizarro pelo fato de vários pilotos estarem desesperados para aparecer e conseguirem uma vaguinha para 2016, tudo se desenvolve na mais perfeita ordem.
Fim da volta 1.
Jamin permanece na ponta, seguido por Telitz. Eidson tem seu momento de Aaron Telitz e abre um pouco demais no hairpin, caindo pro quinto lugar ao ser ultrapassado por Martin e Gabin.

Entretanto, Eidson logo volta ao terceiro lugar, passando Gabin no hairpin da volta 2 e ambos passam Martin quando esse erra e sai da pista na curva 6 da quarta volta.

Novamente, como as coisas ficam meio chatas lá na frente (Jamin se distanciando de Telitz, que se distancia de Eidson, que se distancia do resto), vamos ao pelotão intermediário. 

Na largada, Portante consegue driblar Rickards e Agren, ficando logo atrás de Lastochkin e dos cinco primeiros. Parker Thompson e Luo Yufeng também conseguem passar Rickards.  E até no meio do pelotão as coisas ficam muito calmas e apenas Keyvan Soori consegue fazer uma ultrapassagem, em cima de Rickards, obviamente.

A corrida segue nesse ritmo até a volta 12, quando Gabin começa a ter um problema na suspensão por tocar de leve a barreira de pneus no Saca-rolhas. Ele vai para os boxes e volta três voltas atrás.

Mas lá na frente nada muda e Nico Jamin vence! Aaron Telitz passa em segundo lugar e Jake Eidson em terceiro!  Com esse resultado, Nico Jamin se consagra como campeão da USF2000!

Resultados e pódio. Essa é a oitava vez que os três primeiros são eles.

Nico Jamin fatura 378 mil dólares para poder bancar uma temporada completa na Pro Mazda, isso sem contar as TREZE vezes que ganhou 500 dólares por fazer a pole (um recorde: treze poles no mesmo ano) e os 2500 dólares que ganhou NOVE vezes durante o ano. Nico Jamin é o piloto que mais ganhou dinheiro em premiação da história da USF2000.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário