• Falha na suspensão dianteira direita causou acidente de Hinchcliffe

    Novidades surgem à respeito do caso Hinchcliffe. Segundo a Honda, a suspensão dianteira direita falhou e provocou o sério acidente de James Hinchcliffe nos treinos de segunda-feira para a Indy 500.

    O acidente aconteceu logo no início dos treinos. No meio da curva 3, o carro da SMP desviou da trajetória normal e foi de encontro ao muro de proteção. O lado direito do bólido ficou completamente destruído, e o carro quase capotou antes de parar na parte interna do traçado.


    Hinchcliffe. (Foto: AP)

    Segundo a revista norte-americana 'Racer', Hinchcliffe estava sangrando "em profusão" porque uma parte da suspensão dianteira direita que se rompeu antes do acidente conseguiu penetrar a célula de segurança do cockpit e atravessou a perna direita, a coxa da perna esquerda e terminou na região pélvica.

    A equipe médica não estava conseguindo retirar Hinchcliffe do carro e teve de cortar o restante da suspensão do chassis. A primeira medida foi estancar o sangue de uma situação que foi avaliada como "risco de morte".

    Segundo os dados da telemetria da SPM, Hinchcliffe estava a 367 km/h no momento em que a suspensão se rompeu e jogou o carro direto no muro da curva 3, praticamente sem diminuição de velocidade. A força do impacto foi medida em 125 G.

    Hinchcliffe deve ficar de fora do resto da temporada 2015. O canadense venceu a segunda etapa, disputada no circuito de NOLA.

    Fonte: Racer/Grande Prêmio/Autosport
  • POSTAGENS RELACIONADAS

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário