Primeiro teste do novo carro da Lights

Nessa segunda-feira (4 de agosto) muita gente do padoque da Indycar e do Road To Indy permaneceu em Mid-Ohio pra ver o Dallara Il-15 em ação nas 13 curvas do Mid-Ohio Sports Car course.

(twitter @coforceintl)

Depois do Shakedown feito em Putnam Park na terça passada (29 de julho), o primeiro Dallara Il-15 equipado com o motor AER partiu rumo a Ohio para seu primeiro teste de verdade.  O piloto escalado para esse teste foi Tristan Vautier, tendo em vista que Conor Daly (que fez o shakedown em Putnam Park) teria compromisso com patrocinadores em Miami.

Vautier correu na Indy Lights em 2012 pela Sam Schmidt Motorsports, conseguiu quatro vitórias e se sagrou campeão no seu ano de estreia, depois foi pra Indycar e todo mundo sabe o que aconteceu, e hoje é um dos apresentadores do Mazda Road to Indy TV, programa sobre a categoria no youtube.

Logo pela manhã o piloto deu quatro voltas de instalação, para sentir o carro e se tudo funcionava bem desde a terça-feira passada. Depois uma breve passada nos boxes e então o Il-15 partia para suas primeiras voltas acelerando "realmente" com os giros do motor de 450 cavalos limitados a oito mil rpm. 

A revista RACER aproveitou e conversou com o piloto depois dessa primeira sequência de voltas. Nela, Vautier diz que "No geral o carro é muito bom. Os freios são incríveis, o motor é muito bom, a dirigibilidade é ótima. O som do motor dentro do carro e a mudança de marchas são muito legais. No momento temos que trabalhar no equilíbrio e no nível de downforce para sentí-los mais tarde". Nessa sequência de voltas com o motor limitado a 8 mil rpm, Vautier fez a melhor volta em 1:16.14, ainda muito alta quando comparado com a pole position feita no sábado por Jack Harvey (1:13.95).


Depois dessa sequência de voltas, pausa para o almoço e para Vautier fazer mais entrevistas e para todo mundo almoçar e tirar fotos do carro parado.

https://www.youtube.com/watch?v=gVRfJB9XTwQ (não consegui embedar, desculpa).

Novo motor AER P63 Turbo.
Nesse vídeo, além de repetir tudo o que foi dito no vídeo acima, o piloto francês faz comparações com os atuais Dallara IP2 que correm na Indy Lights: "A principal diferença fica por conta da freada, podemos frear bem mais tarde e sentimos o carro frear bem mais bruscamente. Dá pra sentir o carro mais leve (ele ficou cerca de setenta quilos mais leve), com reações mais rápidas de freada, reaceleração e viradas no volante. Essa diferença de peso faz com que você possa frear mais tarde, reacelerar melhor e desenvolver mais velocidade principalmente em curvas rápidas sem grande substerço. No geral nem pareçe mais que estou dirigindo na Indy Lights".

O Road to Indy Tv que citei no parágrafo sobre o Vautier também fez um vídeo com o também piloto Anders Khron, mas sobre o novo volante do Dallara IL-15:


Nele podemos ver duas mudanças importantes do IP2 pro IL-15: o push to pass, que será implementado em 2015 e, a priori, vai adicionar 50 cavalos a mais para o carro durante alguns segundos; e duas chaves, onde pode-se alterar o mapa de aceleração do carro e o mapa de mudança de marchas, que o piloto não poderia alterar no volante no IP2.

Depois do almoço, foram dadas mais 55 voltas com o limite de giros do motor aumentado para 9 mil rpm em duas sequências de voltas diferentes e fez o melhor tempo de 1:13.48, quase meio segundo mais rápido que a pole feita pelo IP2 de Jack Harvey (1:13.95). 


Abaixo tem dados de comparação dos novos chassi e motor comparado com o desse ano. A fonte das informações é a revista RACER pro carro desse ano e do Indy Lights Rulebook do chassi atual:

Podemos ver que sim, o novo carro tem muito mais desempenho que o atual. Apesar do motor ser menor, ele possui turbo e com o chassi mais leve e com peso quase 10% menor, o IL-15 faz retas e curvas mais rápido que o IP2.

A principal desvantagem do novo carro é o custo. Os Dallara IL-15 custam mais do que o dobro que os IP2 e são pouca coisa mais baratos que os Dallara DW12 usados nos mistos da Indycar (349 mil dólares cada).  Atualmente, é estimado que uma equipe de apenas um caro (como a Fan Force, por exemplo) tenha orçamento de 4 milhões de dólares por ano, o que com custos de chassi e motores bem maiores, este custo pode mais do que dobrar.

Isso pode influenciar muito no grid atual. Vemos alguns donos de equipe (como AJ Foyt e Bobby Rahal) querendo alinhar um ou outro carro na Indy Lights e alguns pilotos muito animados em dirigir o IL-15, mas os dois donos de equipe supracitados ressaltaram que querem pilotos que tenham já um certo financiamento. Será necessáriomuito mais dinheiro para se alinhar um carro na Indy Lights, e isso pode minar os planos de várias pessoas proensas a entrar na categoria.

No fim, só saberemos o quanto o custo influenciará o grid da principal categoria de acesso da Indycar quando a pré-temporada começar no início de 2015. Até lá, o IL-15 fará mais dois testes no Indianápolis Motor Speedway: nos dias 12 a 14 de agosto será feito testes no oval, e nos dias 5 e 6 de setembro estão previsto testes nos mistos.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário