Em meio ao milho e as chuvas Scott Dixon consegue a pole.

Em meio a um cenário pós apocalíptico que é Iowa uma semana após um tornado, Dixon faz sua primeira pole do ano e empata com Gil de Ferran em número de poles.  Os brasileiros vão bem e fazem segundo e terceiro lugar.

Primeira vez que o Dixon posa pra uma foto ao lado do Firehawk por causa de uma pole. (@firestoneracing)

Mas essa sexta-feira estava difícil de ter alguma atividade na pista.  As pancadas de chuva molhavam o asfalto, e como não tem corrida em ovais com chuva desde 2012 em New Hampshire, os carros entravam e saíam da pista várias vezes.
Começou logo de manhã, com o primeiro treino as onze horas da manhã.  Os carros partiram para a pista com o céu negro como se a Tempestade estivesse de TPM, e quinze minutos depois começou a chover forte. Com a exceção de Graham Rahal, que conseguiu o milagre de dar 28 voltas sem bater seu carro, ninguém mais conseguiu completar mais de 25 voltas, e Hinchcliffe conseguiu o melhor tempo com 183,647 mph (sim, nos EUA milhas por hora também é usado como medida de tempo porque a distância que eles percorrem em cada volta é a mesmNINGUÉM SE IMPORTA).

Para evitar que o treino classificatório fosse interrompido também, até porque não choveria a noite segundo a previsão do tempo, jogaram o segundo treino livre para o período tarde e passaram o classificatório para a noite, afinal ninguém liga quando treino livre é afetado pela chuva. Também foi nessa hora que decidiram fazer o bingo de quem vai primeiro na pista, e o resultado foi esse acima.

Estão secando a pista e não plantando milho (@beberly18)
O segundo treino livre, como imaginado, foi interrompido pelas lágrimas de Tupã. Ele estava previsto pra começar as 15:45 (horário de Brasília sempre nesse blog), começou as 16:50 para que os Air Titan® pudessem enxugar a pista (já que Tupã não estava afim).

Com sete minutos, enquanto Kanaan fazia a volta mais rápida (183,152 mph), bandeira vermelha por causa da chuva. Essa foi mais rápida e só 40 minutos depois se deu nova bandeira verde, mas os pilotos não acreditavam que duraria muito e poucos saíram para a pista. A volta de Kanaan ficou como a mais rápida até instantes antes da bandeira quadriculada, quando Juan Pablo Montoya faz 184,619 mph e termina como o mais rápido antes do treino classificatório.

As oito da noite, horário de culto para os evangélicos, os pilotos partiriam para as duas voltas rápidas de costume em outros ovais que não Indianápolis e Iowa, ao invés das tradicionais minicorridas que eram muito legais.  O melhor modo de descrever treinos assim é por tópicos, estão aí estão eles:
  • Power vai primeiro e faz voltas bem mais ou menos, e sua média (184,643 mph) só o deixa no top 10 porque os Honda estavam mal pra caramba nesse treino. 
  • Hinchcliffe e Pagenaud vão a seguir, mas vão mal só pra ilustrar minha afirmação acima.  
  • O primeiro que brigaria pelas cinco primeiras posições seria o bom baiando [/luciano] Tony Kanaan. O brasileiro faz duas voltas muito consistentes, e na segunda beira as 186 milhas por hora, garantindo pra ele a ponta provisória.

  • Num é melhor andar na motinha do que no Honda?
  • Ryan Hunter-Reay e Graham Rahal fazem duas voltas de treino livre, e garantem o meio do grid.
  • Marco Andretti e Carlos Muñoz tiram o máximo de seus carros, mas parece que os Honda não estavam muito afim de empurrar os carros, fazem velocidades na média de 185 mph e fecham dentro do top 10 (os únicos Honda a conseguir esse feito no treino).
  • O bom desempenho da Ganassi-Chevy é comprovada pelas voltas de Ryan Briscoe, que faz segundo lugar temporário e quarto lugar no geral. Quando ele faz quarto lugar no treino classificatório, é porque a equipe está muito bem.

  • Mikhail Aleshin vai bem e consegue o 12º geral, imediatamente atrás de seu companheiro de equipe. Sato, Wilson e Newgarden fazem só figuração.

  • [dramatização]É a vez de Dixon ir pra pista.  O vento sopra forte como nunca, com a biruta
    rodando solta.  Mas nada abala o ânimo do austa-neozelandês, que se concentra e relembra toda sua trajetória nos treinos livres enquanto faz a volta de aquecimento toda de olhos fechados a 182 mph de média. Quando se aproxima da """""""reta"""""" principal, ele abre os olhos e aperta (ainda mais) o pedal do acelerador e faz a primeira volta a impressionantes 186,4 mph.  A segunda volta seguia no mesmo ritmo, mas na entrada da curva 3 acontece o inesperado.  O vento estava ainda mais forte e surge um tornado logo ao lado da pista, destruindo uma das arquibancadas (vazia, porque isso é a Indycar). Magistralmente, Dixon consegue desviar de TODOS os destroços, mas retira o pé do acelerador por alguns milésimos de segundo (comprovando que ele ainda tem partes humanas em seu corpo) e faz volta com velocidade de apenas 186,2 mph, mas mesmo assim assumindo a primeira posição, arrancando aplausos dos torcedores, lágrimas das inimigas e sutiãs das mocinhas.[/dramatização].

  • Depois, é a vez de Montoya ir pra pista, testando acerto novo e se dando mal.  Ele viria a fazer tempos piores que Sebastian Saavedra.
  • Hélio vai para a pista logo depois, mas seu carro balança levemente na entrada da curva três na primeira volta, entretanto, sua segunda volta é arrasadora (186,809 mph), o novo recorde da pista e por pouco não vai pra pole, mas fica no terceiro lugar.

  • Daí acharam q eu era pq ganhei em Houston, HU3HU3
  • Bourdais vai pra pista e faz um ótimo trabalho, fazendo o sexto tempo no geral e fazendo a pole dos carros não Penske-Andretti-Ganassi. Kimball e Saavedra vão pra pista, mas não fazem mais do que normalmente se espera deles.

  • Carlos Huertas vai para a pista e todos ficam boquiabertos. Mostrando-se completamente adaptado aos ovais, o colombiano faz voltas nove milhas mais lento que Dixon.  Caso o ritmo dos dois se mantenham na prova (a tendência é a diferença aumentar mais ainda), eles não abandonem e não tenhamos bandeiras amarelas (que não é impossível de acontecer), Huertas terminaria a prova 14 voltas atrás de Dixon.

  • Jack Hawksworth, de coração engessado (mentira), fecha o treino mas não faz nada de importante, terminando em antepenúltimo.
E assim foi o treino.  Esperamos que amanhã à noite Charles Xavier dê um trato na Tempestade para que nós possamos assistir as 300 voltas do Iowa Corn Indy 300 presented by DeKalb.  Prometo que a corrida será muito melhor que a de Pocono*.

Só pra ilustrar meu ponto de corridas melhores em Iowa do que em Pocono (não, não era relargada).
Abaixo estão as velocidades do classificatório:


*caso a prova de Iowa seja pior que a de pocono, o autor desse texto não poderá sofrer represálias. 
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário