Após 14 anos, Montoya vence de novo na Indy


Após quatorze anos sem estar num victory lane com um carro da Indy, Juan Pablo Montoya reencontrou o caminho da vitória e venceu as 500 milhas de Pocono com ajuda da bela estratégia da equipe Penske, que teve Helio na segunda posição. No outro lado da moeda, a Ganassi errou na estratégia e tirou a chance de vitória do Tony Kanaan, faltando apenas três voltas para o final.

Estratégias que acontecem bastante em corridas de 500 milhas, principalmente quando 195 voltas são em bandeira verde. A corrida, considerada chatinha no começo, teve seu pico de emoção no final, que nem foi em Indianapolis, sem precisar de mais quatro bandeiras amarelas como aconteceu em maio. Mas a falta de emoção no começo pode ser pauta de uma discussão sobre o porquê de não ter mais que 10 mil pessoas no oval neste domingo. Se bem que na Nascar é quase igual e o estacionamento fica lotado.

Mas o piloto da prova foi Montoya. Andando na frente o tempo todo, e ainda com o bico na parte esquerda avariado, ele conseguiu domar o carro até o final e vencer a prova. A última vez que ele entrou no victory lane na Indy foi no oval de Gateway, em 2000. Prova de que ele ainda está em forma, e calou a boca de muitos criticos, que diziam que ele não seria o mesmo de antigamente. Nenhuma pessoa é a mesma depois de tanto tempo, mas o talento é indiscutível (não sou fanboy do colombiano, só pra deixar claro)

E aqui vai o resumo da prova, para você que preferiu dormir mais um pouco neste domingo à tarde: 



BANDEIRA VERDE! ! ! Power larga bem e vai pra cima de Montoya, mas Carlos Munoz e Marco Andretti aproveitam o vácuo e ficam lado a lado com Power e Montoya, fazendo um 4wide! Quem se dá bem é Power e Andretti, que ficam na frente, mas Andretti vai perdendo rendimento nas voltas seguintes e volta para sua posição original.

Tony Kanaan larga muito bem e fica na quarta posição nas primeiras voltas, os pilotos vão poupando combustível. Tim Cindric, engenheiro do Power, líder da corrida, fica preocupado em relação a isso.

Volta 17: Montoya perde rendimento e fica para trás, ao contrário de James Hinchcliffe que ficou para trás no começo, mas tenta recuperar posições. Tony assume a terceira posição ultrapassando Montoya.

Volta 26 - 32: Primeira parada: Takuma Sato é o primeiro a entrar nos boxes com pane seca. Ryan Hunter-Reay para duas voltas depois, junto com Graham Rahal e Josef Newgarden. Tony para na volta seguinte, junto com Carlos Munoz, segundo colocado, mas o brasileiro tem problemas em engatar a marcha para sair e perde tempo, ficando na quarta posição. Will Power para na volta seguinte, junto com Helio. Por fim, Montoya é o último a parar e sai na 2° posição

Ryan Hunter-Reay abandona a prova com problemas na suspensão dianteira. Segundo o próprio piloto: "foi uma sorte nada de mais sério ter acontecido". Motores Honda não ficam numa boa posição no começo da prova. Entre os dez primeiros, apenas 3 carros estão com o motor japonês.

Volta 46: Power, Montoya, Munoz, Kanaan, Briscoe e Castroneves formam m pelotão, que fica a 7 segundos à frente do sétimo colocado, Mikhail Aleshin.

Tony vai pra cima ultrapassando Briscoe, Montoya e Power, e pega a liderança da corrida, abrindo com relação a Power . Helio vai no embalo e sobe de sexto para quarto. Agora, a Penske tem Power em segundo, Montoya em terceiro e Helio em quarto. Os seis primeiros diminuem sua vantagem e deixam o segundo pelotão se aproximar.

Volta 58 - 65: Segunda parada: Graham Rahal é o primeiro a entrar. Tony coloca bastante combustível e sai sem problemas, os três Penskes assumem a ponta momentaneamente, mas Helio e Power param na volta seguinte. James Hinchcliffe é punido por excesso de velocidade e paga um drive-through, mas fica nos boes com problemas no limitador. Os carros da Andretti não estão bem hoje. Montoya novamente é o último a parar e coloca bastante combustível. Kanaan continua em primeiro.

Takuma Sato abandona com problemas mecânicos. Montoya se aproxima do brasileiro e ameaça pegar a ponta, mas se acomoda atrás e apenas se aproveita do vácuo do brasileiro, ganhando uma vantagem de 3 segundos para o terceiro, Will Power.

Volta 87 - 94: Terceira parada. Rahal entra antes, como na segunda parada. Tony entra na volta seguinte, confirmando que ficar na liderança gasta bastante combustível. Power e Helio param só depois de cinco voltas e Montoya, só depois de seis. O colombiano volta na pista à frente de Tony, mas com pneus frios, não consegue sustentar a ponta. Power consegue se aproximar dos dois primeiros.

Huertas para dento dos boxes, mas não foi no lugar marcado, porém, também não foi no meio da pista, então, hão houve motivos para bandeira amarela e o colombiano foi empurrado para seu pit só depois que as paradas terminaram. Ele abandona a prova com problemas elétricos.

Volta 115 - 124: Quarta parada. Rahal, de novo, é o primeiro, mas porque ele encostou no muro na curva 1. Tony para três voltas depois e faz uma parada rápida, sem colocar muito combustível. Antes de entrar, Power se aproxima de Montoya. Os dois param, mas o colombiano tem problemas, estragando sua estratégia de parar oito voltas depois de Tony, mas Power se aproxima de Tony.

Nesse momento da prova, a corrida parece ficar nas mãos de Tony, Helio, Power ou Montoya.

Volta 148 - 156: Quinta parada. Dessa vez, o primeiro a parar é Mikhail Aleshin, junto com Tony Kanaan. Simon Pagenaud tem problemas de posicionamento do carro na sua parada e perde tempo. Helio para um pouco depois e meche na asa dianteira. Power para cinco voltas depois de Tony junto com Montoya. Os dois da Penske voltam à frente de Tony. Ed Carpenter e Sebastien Bourdais são os últimos a parar.




VOLTA 159: Rahal roda na saída da Curva 2, mas não bate no muro. Bandeira amarela.




Tony para nos boxes e é o único entre os líderes que pararam. O brasileiro tenta fazer uma estratégia diferente. Mas depois ele para novamente para não entrar nos pits novamente até o final da prova.


VOLTA 166: Montoya e Power disputam a liderança lado a lado, enquanto que mais atrás, Andretti, Kanaan e mais três carros fazem um 5-wide, tanto que Marco Andretti encosta no muro. Montoya continua à caça de Power e vai pra cima, mas toca com a asa dianteira na parte traseira do carro do australiano. A parte interna do bico quebra, mas isso não gera problema para Montoya.




Helio Castroneves assume a terceira posição em cima de Power, que fecha duas vezes o brasileiro na reta principal. O movimento do australiano lhe dá um drive through. Mais um no campeonato. Power fica fora da disputa pela vitória.




Aqueles que não pararam começam a entrar nos pits sob bandeira verde. Agora a corrida pode ser decidida nas estratégias. 



Volta 184 - 190: Começa a última parada para aqueles que não pararam na bandeira amarela. Tony antes da parada estava em sétimo. Helio entra e tem problemas com a troca de pneus e perde tempo, mas volta na segunda posição. Montoya para e volta na  Josef Newgarden é o líder e fica por mais algumas voltas na pista.



Volta 194: Newgarden para e deixa a liderança nas mãos de Tony, mas a estratégia da Ganassi não dá certo e o brasileiro para faltando apenas 3 volas para o final. Montoya fica com a liderança e vence com uma folga de 2 segundos e meio para Helio Castroneves. O colombiano volta a vencer depois de doze anos.


Vamos para o resultado não-oficial:

E os melhores momentos:
(em breve!)


Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário