Road to Indy: Caras novas nos testes em Mid-Ohio

Do dia 3 ao dia 5 de junho (sei que estou atrasado, desculpa) foram realizados treinos livres para as três categorias do Road To Indy.  E, além dos rostos já conhecidos na categoria esse ano, surgiram caras novas (ou nem tão novas assim), além de muitas mudanças de equipes.

Indy Lights

 Começamos pela categoria maior do Road To Indy porque ela foi a primeira a ir pra pista.  O dia 3 de junho foi todo reservado para os dez carros da Lights, e a principal novidade fica por conta do piloto no carro da Bryan Herta Autosport/ Bowen & Bowers Motorsports with Jeffery Mark Motorsports.

O carro de Pipo Derani nesses testes.
Lloyd Read, o britânico que dirigiu o único carro da equipe até as etapas no misto de Indianápolis, anunciou em sua fan page no facebook que não continuaria na Indy Lights e que não saberia qual o próximo passo que sua carreira de piloto de corridas daria.  Com isso, a equipe ficou sem piloto, e acabou não disputando a Freedom 100 nas duas milhas e meia do oval de Indianápolis.


Coincidentemente, o brasileiro Pipo Derani e a equipe Team Pelfrey decidem não continuar sua parceria durante os treinos que a Pro Mazda realizava no Lucas Oil Raceway, e o piloto buscava uma nova vaga para continuar correndo.  E essa oportunidade surgiu nesses testes realizados em Mid-Ohio.

A equipe que teve até  o momento um nono lugar como melhor resultado (em uma categoria com no máximo doze carros no grid) e o piloto que conseguiu dois pódios na Pro Mazda (em seis corridas disputadas) fazem parceria para correr nesses testes.

Outro destaque, dessa vez negativo, foi a Fan Force United.  A equipe do ex-piloto/corretor de imóveis Tyce Carlson não compareceu aos testes coletivos com seu piloto desse ano, o americano Scott Anderson.

E logo nos treinos pela manhã, quem liderou foi outro brasileiro:  Luiz Razia.  O piloto da Schmidt-peterson Motorsports with Curb Agajanian fez 1:16.242, dois centésimos mais rápido que Gabby Chaves (Belardi Auto Racing) e um décimo mais rápido que Alex Baron (Belardi Auto Racing), que fez 1:16.386.  Seu companheiro de equipe, Jack Harvey, fez o quarto tempo (1:16.560) e Zach Veach, piloto da Andretti Autosport que é um dos líderes do campeonato, fez o quinto tempo (1:16.804).  Pipo Derani estreou em atividades oficiais na Indy Lights fazendo o nono tempo, com 1:17.279.
Harvey liderou a segunda sessão de treinos

No treino realizado à tarde, a maioria dos pilotos melhoraram seus tempos, e o melhor tempo fica novamente com a Schmidt-peterson Motorsports with Curb Agajanian.  Jack Harvey faz 1:14.938, pouco mais de um décimo mais rápido que seu companheiro de equipe Luiz Razia (1:15.092) e dois décimos mais rápido que Gabby Chaves (1:15.190).  Zach Veach é novamente o estadunidense mais rápido dos testes, fazendo o quarto tempo (1:15.996) e Juan Piedtahita é o terceiro carro da Schmidt entre os cinco primeiros, com 1:16.223.  Pipo Derani melhora sua marca em dois décimos, e faz o sétimo tempo com 1:17.014.

Tempos combinados (fonte:  twitter @luizrazia, o único lugar onde achei os tempos)

 Pro Mazda


Adicionar legenda
A Pro Mazda fez duas sessões de testes no dia 4 e outras duas sessões no dia 5, e foi a categoria com menos novidades no certame. Cada sessão teve cerca de uma hora.  Estavam previstas mais duas sessões (uma no dia 4 a tarde e uma sessão no dia 5 a tarde) que foram canceladas pelas fortes chuvas que caíram no Mid Ohio Sports Car Course.

Kellet está de volta à Pelfrey
Entre os catorze pilotos presentes (treze na categoria principal e Bobby Eberle, da categoria Masters), a
única novidade fica por conta da volta de Dalton Kellet par a a Team Pelfrey.  O piloto que correu as seis primeiras provas mas que não tinha corrido em Lucas Oil Raceway, volta a correr pela equipe ao lado de Nicolas Costa, que entrou pra equipe na própria Lucas Oil.

Nicolas Costa foi o único brasileiro que correu pela Pro Mazda nesses testes.  O piloto que correu as três primeiras etapas pela M1 Racing e conseguiu dois top 10 (na primeira corrida de St. Pete e na segunda corrida de Barber) acertou com a Team Pelfrey e correu no Lucas Oil Raceway, onde conseguiu um quarto lugar.

E não houve grandes novidades nem na primeira sessão.  Ela foi liderada por Spencer Pigot (Juncos Racing) que, no finalzinho do treino, fez 1:19.513; tempo quase sete décimos mais rápido que o feito Scott Hargrove (Cape Motorsports with Wayne Taylor Racing, 1:20.213) e tempo perto de um segundo mais rápido que o de Shelby Blackstock (Andretti Autosport, 1:20.395).  Nicolas Costa fez o décimo tempo de 1:21.238.

Nicolas Costa voltou a correr pela Team Pelfrey
No único treino da tarde, que não contou com a presença dos dois líderes da sessão passada e teve uma chuva leve, os melhores tempos foram feitos no fim do treino, quando a pista já estava bem mais seca. Essa sessão foi liderada por Ryan Booth (JDC Motorsports) com o tempo de 1:22.092, pouco menos de um décimo a frente da argentina Julia Ballario (Juncos Racing, 1:22.165) e quase dois décimos a frente de Kyle Kaiser (Juncos Racing, 1:22.271).  Nicolas Costa conseguiu seu melhor resultado nos treinos, fazendo o sétimo tempo com 1:22.517.

No dia seguinte, logo pela manhã e com todos os pilotos presentes, Shelby Blackstock fez o melhor tempo (1:20.270), pouco a frente dos pilotos que disputam mais diretamente ao título:  Spencer Pigot (1:20.358) e Scott Hargrove (1:20.402).  Nicolas Costa enfrentou problemas em seu carro, e acabou fazendo apenas o décimo segundo tempo (1:21.384).

Houve um segundo treino de manhã, onde os melhores tempos foram feitos e voltou a ser liderado por Pigot (1:19.235), apenas seis milésimos mais rápido que Hargrove (1:19.241) e mais de dois décimos a frente de Dalton Kellet (1:19.507).  os problemas no carro de Nicolas persistiram, e o piloto fez apenas o décimo primeiro tempo (1:20.438).

Melhores tempos, em que sessão foi feita e o número total dado me todos os testes.  Fonte:  Pro Mazda Championship.

USF2000

Dias nublados nos tests de Mid-Ohio

A categoria menor do Road to Indy teve seis sessões de testes, três no dia 4 (duas de manhã e uma a tarde) e três no dia 5 (uma de manhã e duas de tarde).  E também contou com algumas novidades.

Além da ausência da D2D Motorsports e da M2 Autosports por questões financeiras e da John Cummiskey Racing e da GBI Racing, que ainda não confirmaram se continuarão no campeonato; também não esteve presente a JDC Motorsports, já que seu único piloto, Clark Toppe, pois ele estava em semana de provas finais na sua escola. Para contrabalancear, tivemos a presença de Joey Selmants (que está disputando a F2000), que corre pela primeira vez na USF2000 pela ArmsUp Motorsports; e também do veterano Alex Baron (corredor da Indy Lights) pela Belardi Auto Racing.

Mas o que não mudou foi a participação brasileira.  Continuamos tendo apenas dois representantes na Afterburner Autosports:  Gustavo Myasava e Victor Franzoni.

A tônica de todos os treinos foi o revezamento da liderança entre o francês Florian Latorre, o Americano RC Enerson e o holandês Jeroen Sleghekke. Cada um liderou duas sessões.

No primeiro dia, houveram duas sessões pela manhã.  A Primeira foi liderada pelo holandês Jeroen Slaghekke (Belardi Auto Racing, 1:22.238), terminando quase três décimos a frente de RC Enerson (Team E Racing, 1:22.544) e Florian Latorre (Cape Motorsports with Wayne Taylor Racing, 1:22.558).  A segunda sessão não teve a presença do germânico de 14 anos Keyvan Anders Soori e do americano Peter Portante, e quem liderou foi Latorre (1:21.920), que fez o tempo mais rápido do dia e foi quase três décimos mais rápido que as duas Belardis que viriam a seguir: Sleghekke (1:22.211) e Baron (1:22.332).

A terceira sessão, a única realizada a tarde, foi atrapalhada pela chuva, onde nenhum piloto deu mais de cinco voltas; a sessão foi liderada por RC Enerson (2:06.208). Com isso, os tempos obtidos pela manhã foram os melhores do dia.  Nesse dia, os brasileiros não foram muito bem; ambos fizeram os melhores resultados na segunda sessão, quando Victor Franzoni fez o décimo terceiro tempo (1:23.217) e Gustavo Myasava foi décimo sexto (1:25.326).

O segundo dia contou com a ausência de Colton Hertae de Austin Cindric (para participar do Rally Cross dos X-Games).  No lugar de Cindric (sim, ele é filho do Tim Cindric da Penske), entrou o veteraníssimo Tonis Kasemets (que já disputou provas pela extinta CART, além de correr na Indy Lights e na Grand-AM).

Na única sessão da manhã, o líder novamente foi Sleghekke (1:22.064), quase dois décimos a frente de RC Enerson (1:22.203), Alex Baron (1:22.218) e Peter Portante (ArmsUp Motorsports, 1:22.234).   Na segunda sessão, a primeira a tarde, foi liderada por RC Enerson (1:21.652), um décimo a frente de Jake Eidson (Cape Motorsports with Wayne Taylor Racing, 1:21.789) e três décimos a frente de Nico Jamin (Belardi Auto Racing, 1:21.912).  E na última sessão de testes coletivos o rodízio continuou o e quem liderou foi Latorre, fazendo o tempo mais rápido de todos os testes (1:21.521); a Belardi continuou muito bem, com o segundo lugar de Slaghekke (1:21.715) e o terceiro lugar de Daniel Burkett (1:21.730).

Os Brasileiros tiveram desempenho melhor nesse último dia de treinos.  Ambos tiveram melhor desempenho na última sessão, quando Franzoni fez o 13º melhor tempo (1:22.405) e Myasava fez o 15º tempo (1:23.380).

Tempos combinados, sessões que participaram e voltas dadas nos treinos
Confira os horários das sessões (horário de Brasília).  A próxima etapa da Pro Mazda acontece no último fim de semana de junho, no Reliant Park em Houston, Textas.  A Próxima rodada da Indy Lights acontece dia 7 de julho, no superoval de Pocono International Raceway, na Pelsilvânia.  E a próxima rodada dupla da USF2000 acontece dias 19 e 20 de julho, quando o padoque viaja para Toronto, no Canadá.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário